Imprensa livre e independente
23 de outubro de 2018, 18h03

Segunda Turma do STF arquiva inquérito contra o tucano Aloysio Nunes

Por 3 votos a 2, Supremo arquiva o inquérito aberto para investigar o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, que foi citado por delatores ligados à Odebrecht

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado Mais um tucano consegue se livrar da Justiça. Por 3 votos a 2, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (23) arquivar o inquérito que investigava o senador licenciado e ministro das Relações Exteriores de Michel Temer, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB). O caso começou a ser julgado em agosto, mas foi interrompido duas vezes por pedidos de vista. As informações são de André Richter, da Agência Brasil. A solicitação de arquivamento foi efetuada pela defesa de Nunes, que alegou falta de provas para o prosseguimento da apuração. A maioria dos ministros do colegiado seguiu voto do relator,...

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Mais um tucano consegue se livrar da Justiça. Por 3 votos a 2, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (23) arquivar o inquérito que investigava o senador licenciado e ministro das Relações Exteriores de Michel Temer, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB). O caso começou a ser julgado em agosto, mas foi interrompido duas vezes por pedidos de vista. As informações são de André Richter, da Agência Brasil.

A solicitação de arquivamento foi efetuada pela defesa de Nunes, que alegou falta de provas para o prosseguimento da apuração. A maioria dos ministros do colegiado seguiu voto do relator, Gilmar Mendes. Ele entendeu que, até o momento, as investigações não conseguiram ir além do depoimento dos delatores.

Aloysio foi citado por delatores ligados à Odebrecht, e a investigação foi aberta a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), no fim de 2017. Em um dos depoimentos, Carlos Armando Guedes Paschoal confirmou o pagamento de R$ 500 mil para a campanha de Nunes, em 2010. De acordo com outro delator, Benedicto Junior, “esta doação não teria sido contabilizada”.

Veja também:  Após "texto bomba", caminhoneiro bolsonarista fala em fechar o Congresso e interditar STF: "11 togados de merda”

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum