10 de março de 2016, 17h22

Sem escrever desde a década de 1970, Raduan Nassar é semifinalista de prêmio inglês

Primeiro brasileiro a constar na lista do Man Booker International Prize, autor concorre por Um Copo de Cólera, que recebeu uma tradução para o inglês britânico no final do ano passado

Primeiro brasileiro a constar na lista do Man Booker International Prize, autor concorre por Um Copo de Cólera, que recebeu uma tradução para o inglês britânico no final do ano passado Da Redação Recluso e sem escrever novos livros desde o final dos anos 1970, o autor paulista Raduan Nassar, de 80 anos, está entre os semifinalistas do Man Booker International Prize, um dos mais conceituados prêmios internacionais de literatura. Ele é o primeiro escritor brasileiro a entrar nas listas da premiação inglesa. Nassar concorre pela edição de Um Copo de Cólera, em tradução para o inglês lançada no fim...

Primeiro brasileiro a constar na lista do Man Booker International Prize, autor concorre por Um Copo de Cólera, que recebeu uma tradução para o inglês britânico no final do ano passado

Da Redação

Recluso e sem escrever novos livros desde o final dos anos 1970, o autor paulista Raduan Nassar, de 80 anos, está entre os semifinalistas do Man Booker International Prize, um dos mais conceituados prêmios internacionais de literatura. Ele é o primeiro escritor brasileiro a entrar nas listas da premiação inglesa.

Nassar concorre pela edição de Um Copo de Cólera, em tradução para o inglês lançada no fim do ano passado. Seus livros já haviam sido traduzidos para o francês, alemão e espanhol. Assim como Lavoura Arcaica, outra obra importante do autor, Um Copo de Cólera foi adaptado para o cinema.

Ele abandonou a literatura em 1980 e vive recluso desde então. Nassar vivia como fazendeiro, mas decidiu doar suas terras para o governo federal em 2013, com a finalidade de criar cursos de ensino superior no local. Em sua antiga propriedade, em Buri (SP), a Universidade Federal de São Carlos instalou o campus Lagoa do Sino, onde oferece os bacharelados em Administração, Engenharia Ambiental e Engenharia de Alimentos.

Os seis finalistas serão anunciados no dia 14 de abril e cada autor e o respectivo tradutor serão premiados com 1 mil libras cada um. O vencedor será conhecido no dia 16 de maio e dividirá com seu tradutor um prêmio de 50 mil libras.

Além de Nassar, outro autor de língua portuguesa também está entre os finalistas. O angolano José Eduardo Agualusa concorre por Teoria Geral do Esquecimento. Ao todo, os jurados analisaram 155 publicações do mundo inteiro antes de anunciarem os 13 semifinalistas.