11 de outubro de 2018, 14h45

Servidora pública é espancada por apoiadores de Bolsonaro em bar no Recife

Mulher fraturou um osso do antebraço e teve diversas escoriações por todo o corpo após ser violentamente espancada por apoiadora de Jair Bolsonaro.

Reprodução/Facebook

A servidora pública Paula Pinheiro Ramos Pessoa Guerra, que trabalha na Fundação Joaquim Nabuco, passou por uma cirurgia após ter sido violentamente espancada por apoiadores do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em um bar na zona norte do Recife. Ela fraturou um osso do antebraço e teve diversas escoriações por todo o corpo.

Segundo reportagem de João Valadares, na Folha de S.Paulo, Paula diz ter ido ao bar para acompanhar a apuração do primeiro turno das eleições, na noite de domingo (7). “Fui ao bar, que frequento há muito tempo, para acompanhar a apuração. Gosto muito de política. Antes da confusão, chegamos a conversar com eleitores de Bolsonaro normalmente”, disse.

Segundo ela, quatro apoiadores de Bolsonaro que estavam na mesa ao lado começaram a falar de mulheres de forma agressiva, quando ela filmou com o celular. “Depois, fui para a minha mesa. Uma mulher que estava com eles se dirigiu a mim, mandou eu levantar e já me deu um murro no rosto. Caí no chão e comecei a ser espancada. Só a mulher me agrediu. Entrei em pânico”, disse à Folha.

Ela conta ainda que 3 homens seguraram os garçons do bar e a pessoa que estava com ela, enquanto a mulher a espancavam, antes de quebrar o celular. Segundo a reportagem, Paula iria se reunir na tarde desta quinta-feira (11) com a secretária da Mulher do governo de Pernambuco, Silvia Maria Cordeiro, para cobrar investigação sobre o caso.