Imprensa livre e independente
08 de novembro de 2018, 20h45

Servidores do Ministério do Trabalho fazem ato contra a extinção da pasta

Servidores do Ministério do Trabalho se uniram em um ato após o presidente eleito Jair Bolsonaro anunciar fusão da pasta com 'algum ministério'

Foto: Edu Andrade/Ascom/Ministério do Trabalho/
Nesta quinta-feira (8), servidores do Ministério do Trabalho se uniram na Esplanada em um ato contra o fim da pasta. O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) confirmou, na tarde da última quarta-feira (7), que realmente vai extingui-lo. “O Ministério do Trabalho vai ser incorporado a algum ministério”, disse, sem dar mais detalhes. A declaração foi dada após almoço no STJ (Superior Tribunal de Justiça) com o presidente da corte, João Otávio de Noronha. No próximo dia 26 de novembro, a pasta completa 88 anos de existência e concentra as funções de elaborar políticas para a criação de empregos e controle de...

Nesta quinta-feira (8), servidores do Ministério do Trabalho se uniram na Esplanada em um ato contra o fim da pasta. O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) confirmou, na tarde da última quarta-feira (7), que realmente vai extingui-lo. “O Ministério do Trabalho vai ser incorporado a algum ministério”, disse, sem dar mais detalhes.
A declaração foi dada após almoço no STJ (Superior Tribunal de Justiça) com o presidente da corte, João Otávio de Noronha. No próximo dia 26 de novembro, a pasta completa 88 anos de existência e concentra as funções de elaborar políticas para a criação de empregos e controle de salários, modernizar as relações do trabalho, fiscalizar os postos, desenvolver e proteger os trabalhadores.

Em nota, o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) diz que é preocupante que a declaração de extinção do Ministério do Trabalho não venha acompanhada de detalhes “Para o Sinait, o melhor caminho é a manutenção do Ministério do Trabalho, por sua importância no cenário nacional. É preocupante que a declaração de extinção do Ministério do Trabalho não venha acompanhada de detalhes sobre os desdobramentos de acomodação dos serviços prestados à sociedade brasileira, especialmente quanto à unidade das atribuições da Auditoria-Fiscal do Trabalho, espinha dorsal do Ministério do Trabalho”.

O perfil oficial do ministério no Twitter se manifestou: “O futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado para a sua compatibilização produtiva, e o Ministério do Trabalho, que recebeu profundas melhorias nos últimos meses, é seguramente capaz de coordenar as forças produtivas no melhor caminho a ser trilhado pela Nação Brasileira”, publicou.

Leia nota na integra:

Veja também:  Debandada: com saída de Levy, governo Bolsonaro já sofreu 19 baixas no segundo escalão

O Ministério do Trabalho, criado com o espírito revolucionário de harmonizar as relações entre capital e trabalho em favor do progresso do Brasil, completa 88 anos de existência no próximo dia 26 de novembro e se mantém desde sempre como a casa materna dos maiores anseios da classe trabalhadora e do empresariado moderno, que, unidos, buscam o melhor para todos os brasileiros.

O futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado para a sua compatibilização produtiva, e o Ministério do Trabalho, que recebeu profundas melhorias nos últimos meses, é seguramente capaz de coordenar as forças produtivas no melhor caminho a ser trilhado pela Nação Brasileira, na efetivação do comando constitucional de buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros.

 

Veja também:  Senador Randolfe Rodrigues denuncia ameaças recebidas por milícias digitais

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum