20 de junho de 2017, 17h16

STF estende prisão domiciliar a Andrea Neves, irmã de Aécio, e Frederico Pacheco, o primo

Ambos estavam presos depois de serem acusados na delação da JBS de participarem do esquema de pagamento de propina ao senador afastado. Ministros devem votar ainda hoje se o tucano será ou não preso Por Redação Depois de livrar da prisão Mendherson de Souza Lima, assessor de Zezé Perrela envolvido nas acusações de propina da JBS para o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu estender a prisão domiciliar também para Andrea Neves, irmã do tucano, e Frederico Pacheco, primo do parlamentar. Ambos foram também citados como partes envolvidas no esquema de pagamento de propina...

Ambos estavam presos depois de serem acusados na delação da JBS de participarem do esquema de pagamento de propina ao senador afastado. Ministros devem votar ainda hoje se o tucano será ou não preso

Por Redação

Depois de livrar da prisão Mendherson de Souza Lima, assessor de Zezé Perrela envolvido nas acusações de propina da JBS para o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu estender a prisão domiciliar também para Andrea Neves, irmã do tucano, e Frederico Pacheco, primo do parlamentar. Ambos foram também citados como partes envolvidas no esquema de pagamento de propina ao ex-governador de Minas Gerais.

Na semana passada, a Turma do STF havia decidido manter a prisão de Andrea sob risco de interferir nas investigações mas, ao votar um recurso da defesa, optou por estender a prisão domiciliar a ela e ao primo de Aécio, por 3 votos a 2.

Os ministros devem decidir ainda hoje se decretam ou não a prisão de Aécio.