Imprensa livre e independente
26 de setembro de 2018, 19h48

STF mantém 3,4 milhões de títulos de eleitor cancelados por falta de cadastramento biométrico

Dados do PSB apontam que a maioria do eleitorado que teve título cancelado está nas regiões Nordeste e Norte do país, o que prejudicaria mais eleitores de áreas pobres

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou solicitação do PSB no sentido de liberar para votação os eleitores que tiveram o título cancelado por não terem efetuado o cadastramento biométrico. Por sete votos a dois, venceu a tese indica que indica que o cancelamento do título de quem não comparecer à revisão do eleitorado não fere a Constituição, de acordo com informações de Mariana Oliveira e Luiz Felipe Barbiéri, no G1. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cerca de 3,4 milhões de eleitores tiveram título cancelado. O PSB havia solicitado à Corte para liberar a votação de...

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou solicitação do PSB no sentido de liberar para votação os eleitores que tiveram o título cancelado por não terem efetuado o cadastramento biométrico. Por sete votos a dois, venceu a tese indica que indica que o cancelamento do título de quem não comparecer à revisão do eleitorado não fere a Constituição, de acordo com informações de Mariana Oliveira e Luiz Felipe Barbiéri, no G1.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cerca de 3,4 milhões de eleitores tiveram título cancelado. O PSB havia solicitado à Corte para liberar a votação de quem perdeu o cadastramento biométrico no primeiro turno. O partido também fez pedido alternativo para que, pelo menos, as pessoas sejam liberadas a votar no segundo turno.

Dados do PSB apontam que a maioria do eleitorado que teve título cancelado está nas regiões Nordeste e Norte do país, o que prejudicaria mais eleitores de áreas pobres.

Contra a tese do PSB votaram os ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Dias Toffoli. A favor da liberação dos títulos, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello.

Veja também:  Trump cumpre chantagem e cancela envio de dinheiro a países da América Central

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum