17 de abril de 2018, 16h50

STF transforma Aécio Neves em réu por corrupção e obstrução de Justiça

Ministros da Primeira Turma acolheram por 5 a 0 denúncia da PGR de corrupção passiva e por 4 a 1 a da obstrução

Foto: Lula Marques/AGPT

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) se tornou réu pela primeira vez por suposta prática de corrupção passiva e obstrução de Justiça. A decisão foi tomada pela Primeira Turma do Supremo Tribuna Federal (STF), na tarde desta terça-feira (17), segundo informações de Renan Ramalho e Gustavo Garcia, do G1.

Por unanimidade, os cinco ministros da turma (Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa Weber e Alexandre de Moraes) acolheram a denúncia de corrupção da Procuradoria-Geral da República e, por 4 votos a 1, a de obstrução de Justiça – neste caso, o único voto contrário foi o de Alexandre de Moraes.

O julgamento começou no início da tarde com as manifestações da acusação e da defesa do parlamentar. O advogado de Aécio, Alberto Zacharias Toron, contestouas acusações de corrupção e obstrução de Justiça. NO entanto, o subprocurador da República Carlos Alberto Coelho, responsável pela acusação, disse haver “farto material probatório” para incriminar o senador.