ASSISTA
10 de Fevereiro de 2018, 15h27

Suplicy confirma candidatura ao Senado e admite que PT precisa reconhecer erros

Vereador por São Paulo diz que Ficha Limpa tem de ser “considerada” e que Lula precisa ter “amplo direito de defesa” em todas as instâncias.

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Em entrevista ao Portal da Band, Eduardo Suplicy confirmou que será candidato pelo PT ao Senado nas eleições de outubro, apesar do desejo do partido de que ele se candidatasse a deputado federal para fortalecer a bancada. Ele tentará exercer o quarto mandato em Brasília como senador. Atual vereador por São Paulo, o político de 76 anos ainda admitiu que o PT precisa “reconhecer os erros” para se renovar.

Sobre a condenação de Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª região) de Porto Alegre, por corrupção passiva no caso do triplex do Guarujá, Suplicy afirmou que é preciso garantir “o mais amplo direito de defesa” ao ex-presidente, até a última instância.

Suplicy acredita que a ausência de Lula nas eleições de outubro poderá gerar um sentimento de “frustração” na sociedade, visto que ele aparece como líder das últimas pesquisas sobre intenção de voto.

Por ter sido condenado na segunda instância, Lula pode ser barrado pela Lei da Ficha Limpa, que impede que “candidatos condenados” disputem cargos. Suplicy afirmou que a lei “tem de ser considerada” e que a mesma foi sancionada pela ex-presidenta Dilma Rousseff.

Suplicy também admitiu que o Partido dos Trabalhadores precisa reconhecer que houve erros cometidos. “Às vezes me perguntam: ‘Apesar de tudo, você ainda continua no partido? ’. Quando estamos numa organização com mais de 1,8 milhão de filiados, alguns cometem erros, por vezes graves, até de enriquecimento ilícito. Nosso dever é tomar iniciativas para prevenir e corrigir os erros, agirmos da maneira mais correta possível, com total transparência”, disse.

*Com informações do Portal Band