#16 de agosto

17 de agosto de 2015, 17h20

O país das minorias

Cartaz lamentando que a presidenta não tenha sido enforcada e "todos eles" mortos em 1964? Exceção. Faixa pedindo intervenção militar? Meia dúzia. Chacina em Osasco? Não representa a corporação. Uma pessoa linchada por dia no país? Nada que seja a sua marca. No país das minorias, ser efetivamente uma delas significa ter destino certo na marcha do brasileiro cordial. E ele não é na Paulista


17 de agosto de 2015, 12h29

Marcha fúnebre permanente

O vermelho-sangue sobre o corpo negro não é uma metáfora. É realidade. Artistas que protestavam contra a violência nas periferias foram obrigados a sair da avenida Paulista neste domingo de protestos “pacíficos”.