#acabou pra mim

29 de outubro de 2017, 19h35

Luiza Coppieters: “Sou uma mulher transexual e sofro violência todo dia. Se eu não lutar, acabou pra mim”

A professora de filosofia foi uma das debatedoras do evento “Desafios de uma educação libertadora”: “A gente corre risco de sofrer constrangimentos, inclusive físicos. A ideia é procurar o diálogo. Mas se vierem pra cima, chega. Tem que revidar”.