#Aldo Fornazieri

28 de novembro de 2016, 08h31

O governo Temer é o mais degradado e degradante da história da República

Sociólogo faz analise do breve e conflitante governo do presidente interino Michel Temer.


22 de setembro de 2016, 14h35

Aldo Fornazieri à Globo News: “É evidente que há um posicionamento politicamente orientado dos procuradores”

Em entrevista a Renata Lo Prete no programa Painel, professor enfatizou que as posições ideológicas do Ministério Público Federal e do juiz Sérgio Moro ficaram nítidas diante das acusações contra Lula.


30 de maio de 2016, 15h16

Aldo Fornazieri: A conspiração e o golpismo do STF e da PGR

“Se não há dúvida que Gilmar Mendes é um sedicioso, conspirando inclusive junto com o presidente ilegítimo, os demais juízes precisam também explicitar as suas posições e definir se estão ao lado da democracia ou se querem ter suas biografias irremediavelmente manchadas pelo golpismo”, diz professor da Escola de Sociologia e Política de São Paulo […]


16 de maio de 2016, 16h00

Aldo Fornazieri: O “Fora Temer” e a desorientação da esquerda

Caso a agenda do “fora Temer” não for levada adiante, a esquerda e os progressistas sairão ainda mais derrotados e mais desmoralizados desse processo do que já foram Por Aldo Fornazieri, no Jornal GGN O governo Temer é a expressão de um condomínio de corruptos que desfecharam o golpe de abril. A batalha da “limpeza […]


01 de fevereiro de 2016, 09h00

Aldo Fornazieri: O PT, o PSDB e a ética

"O PT se destrói e se deixa destruir porque errou, erra e não porque não sabe se defender. O PSDB se destrói porque adotou como único objetivo a destruição do PT e tudo o que ele representa. Nada disso é edificante para o futuro da democracia brasileira", diz professor da Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Confira o artigo


03 de dezembro de 2013, 19h54

Aldo Fornazieri: comunicação de Haddad é desastrosa

Em entrevista à Rede Brasil Atual o professor da Escola de Sociologia e Política e ex-coordenador do programa de governo na campanha do atual prefeito atribui boa parte dos índices negativos deste primeiro ano à comunicação do governo