#Animale

04 de abril de 2019, 17h14

Grife de luxo Animale passa a integrar a nova ‘lista suja’ do trabalho escravo

Trabalhadores bolivianos foram resgatadoas em situação de trabalho análogo à escravidão em oficinas contratadas pela marca em São Paulo; eles cumpriam jornada superior a 12 horas por dia em ambiente insalubre e recebiam em média R$5 por peça confecionada, que são vendidas nas lojas por até R$70


19 de dezembro de 2017, 08h48

Animale: Luxo, sofisticação e trabalho escravo

Imigrantes bolivianos recebiam, em média, R$ 5 para costurar peças de roupa vendidas por até R$ 698 em lojas da Animale