#Ariel Castro

16 de abril de 2015, 14h18

Inquérito de Verônica Bolina omite fotos de agressão

"As fotos divulgadas nas redes sociais, reforçadas pelo áudio no qual a travesti teria dito 'não ter sido agredida ou torturada por policiais', possivelmente obtido mediante constrangimento ilegal e tortura, demonstram a necessidade de instauração de inquérito policial autônomo, para apurar possível crime de tortura", defende o advogado Ariel de Castro Alves