#briga de bar

03 de dezembro de 2017, 18h02

“Estão tratando uma tragédia inominável como se fosse uma briga de bar”, disse o pai de uma das vítimas da Boate Kiss

Na última sexta (1), o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul decidiu que o os indiciados não irão a júri popular. Paulo Tadeu Nunes de Carvalho, pai de um rapaz que perdeu a vida no local, revela, com exclusividade à Fórum, quais as providências que foram tomadas.