#crônica

07 de outubro de 2011, 17h16

Excursões com Aziz Ab’Saber

A primeira crônica que escrevi para esta coluna foi sobre o geógrafo Aziz Ab’Saber, meu professor na USP nos anos brabos. Agora, ele ganhou o prêmio “Intelectual do Ano”, da União Brasileira de Escritores, e quero festejar me lembrando de algumas excursões em que ele nos levava para conhecer o Brasil com olhos de geógrafos, […]


25 de agosto de 2011, 14h06

Uma parada em Goiânia

Espírito de geógrafo é uma coisa danada! Enquanto as pessoas “normais” vão passar férias em cidades praianas e outros lugares turísticos, a gente procura conhecer de verdade o Brasil. Não deixamos de ir aos lugares ditos turísticos ― já fui pra Salvador, Diamantina, Belém, São Francisco do Sul, Florianópolis, Maceió, Foz do Iguaçu, Manaus e […]


28 de junho de 2011, 09h28

Igrejas e mais igrejas

Não só o patrão do Tubaína, mas também seus colegas de trabalho e os próprios fregueses do bar em que trabalhava, na Vila Madalena, ficaram surpresos quando ele pediu demissão. Ele tinha uma família pra sustentar, gostava do trabalho de ajudante de chapeiro, encarregado também da limpeza do bar, amigo de todos ali. Mas ele […]


28 de maio de 2011, 17h47

Boca seca e cabeça rachada

Fiquei só um pouco espantado quando encontrei o Claudinho Boca Seca com um baita curativo desde o alto da testa até o cocuruto da cabeça, tomando uma cerveja no Riviera, numa noite de domingo. Era de se esperar que acontecesse. “Deve ter caído bêbado e batido a cabeça na quina de alguma coisa”, pensei. Mas […]


02 de maio de 2011, 18h11

Isso não obsta!

Antes de viajar para o Nordeste pela primeira vez, eu achava que a palavra acolá existia só nas palavras cruzadas, ninguém falava isso. Mas entre nordestinos vi que não só existe como é muito empregada. O que não existia entre muitos nordestinos eram as palavras ali e lá. Lá era acolá, e ali era acolazinho. […]


23 de março de 2011, 13h32

Uma bússola na cabeça

Sempre me diverti com uma coisa que acontecia­ direto nos filmes de bangue-bangue: um cavaleiro chega a um rancho, tem um moleque curioso que puxa conversa com ele, e, depois de um “olá, garoto” e qualquer frase, o cavaleiro pergunta: “Onde é o rancho WKO?” Primeiro, uma curiosidade inútil: fazenda, nos filmes de bangue-bangue, é […]


17 de janeiro de 2011, 21h37

No tempo em que a TV dava boa noite

Nas Nas abas do mundo: no tempo em que a TV dava boa noite Por Fátima Oliveira* 17/01/2011 Meu avô Braulino, pai de mamãe, possuía uma terrinha nas imediações do Barro Azul, em João Lisboa (MA), aonde se chegava por uma picada na mata em que só passavam jeep, Toyota e caminhão madeireiro, o meio […]


11 de janeiro de 2011, 09h27

Dialogando com a tragédia conservadora estadunidense

Sobre este texto de Cristina Soreanu Pecequilo, intitulado Tragédias Americanas, publicado na Carta Maior o leitor Gerson Carneiro escreveu o texto a seguir. É um belo convite para as nossas próprias reflexões. A força que brota na hostilidade Por: Gerson Carneiro (enviado por e-mail) 11/01/2011 Quando criança morei em uma localidade no sertão da Bahia […]


07 de janeiro de 2011, 12h49

Castradora de desejos

Ele resistiu bravamente, não sem um grande stress, há quatro longos anos de solidão. Certo que às vezes uma companhia e outra de caráter fortuito o visitava. Mas, enfim, a companheira dos sonhos chegou: jovem, saudável, esbelta, com porte de rainha. No começo ele fez a corte: deu voltas e voltas para examinar a amada […]


07 de setembro de 2010, 17h20

Sobre a delicadeza

Ganhei esta delicadeza como presente de aniversário de minha editora. Há mais de dez anos ela aposta em meu trabalho. Há mais de uma década ela reforça um afeto longe do burocratismo empresarial. Ela esteve comigo sempre: virou noites para que a coleção, destinada aos pequenos, chegasse ao nível que eu tanto exigia e brigava. […]


05 de setembro de 2010, 14h34

Chico, sempre Chico e uma crônica de memórias de infância

É um amor muito antigo, começado na infância, como narro aqui: Entre príncipes, dádivas e tristezas —De novo escrevendo menina! Essas cartas não levam a nada, este príncipe é fajuto! Dizia Rita em tom de galhofa para mim…. Rita era jovem, linda. Falava engraçado, cantava com esses que me soavam xis e uns erres que […]


25 de dezembro de 2009, 15h22

Mãos de perdão

As mãos jovens dela: carpiram, semearam, colheram mandioca, feijão, milho e tomate cerejas. Tiraram leite de vaca no sertão, cuidaram das sobrinhas, cozinharam em fogão a lenha, limparam o chão batido da casa paterna. Migraram as suas mãos do Nordeste para o Centro-Sul para limparem mais casas, lavarem uniformes de peões, cozinharem para muitos deles […]


04 de fevereiro de 2009, 20h52

Oráculo da beleza feminina

Um espelho no banheiro Por Elaine Tavares – jornalista Apesar de estarmos no século XXI algumas questões ainda permanecem estagnadas no serviço público, principalmente na universidade. Uma delas é o completo desconhecimento da “mulheridade”.. Uso esse conceito em vez do de “gênero” porque o segundo não me compraz. Parece-me que de alguma forma esteriliza as […]


15 de janeiro de 2009, 17h24

A água encontrou seu nível e o Lucas Mendes não entendeu nada

“A única lembrança que Obama tem do pai é daquele mês com o pai no Havaí. O encontro gerou tantas angústias quanto prazeres, mas o pai, apesar de ausente, pesava, e, de vez em quando, escrevia cartas com aforismos e conselhos e um que até hoje Obama não conseguiu decifrar. “Um dia”, escreveu ele, “como […]


03 de janeiro de 2009, 23h35

A Segunda Revolução Verde, meu quiabo e a promiscuidade do poder público

Acordei decidida a não comer trash food: no natal, ano novo, nos encontros de fim de ano com os amigos costumamos exagerar na dose e fugir do bom e velho feijão com arroz. Na quinta, almoçando uma moqueca capixaba maravilhosa com casais amigos, Raquel, a anfitriã, conta-nos sobre seu um curso de culinária e nos […]