#CUT/MG

22 de novembro de 2015, 11h39

“Samarco comanda a apuração do crime que cometeu, controlando políticos, vítimas e jornalistas”

A presidenta da CUT/MG, Beatriz Cerqueira, denuncia a estratégia da mineradora para apagar os vestígios do desastre que chocou o país. Segundo ela, a Samarco chega a selecionar quais jornalistas podem entrar no local da tragédia e controla o acesso da população ao Comando de Operações da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros, que funciona dentro da sede da empresa.