#Hany Abu-Assad

11 de março de 2014, 18h33

Romeo e Julieta na Palestina ou o amor nos tempos da Ocupação Israelense

Hany Abu-Assad mostra a brutalidade da vida e do amor entre jovens na Palestina Ocupada. Apesar da beleza do filme, do charme de seus atores e de suas atrizes, da fotografia de cores saturadas, do olhar poético e do abundante uso de metáforas, Hany não faz concessões em seu realismo e apresenta um cenário amargo, hostil e atroz; apresenta o jovem palestino em um beco sem saída. O muro na Cisjordânia se mostra uma barreira intransponível entre dois jovens apaixonados. Não há espaço para Romeos e Julietas. Em sua realidade brutal, Omar não encontra redenção na morte com a amada mas sim no assassinato-suicídio como gesto urgente e cego de vingança.