#interior paulista

21 de outubro de 2010, 15h57

Mudança danada!

Tem gente que, para se expressar melhor, compara sempre o que quer dizer com alguma coisa. Por exemplo: para falar que alguém ou algo é feio demais, há quem diga que é mais feio do que o rascunho do mapa do inferno, ou feio que nem briga de foice. Os gaúchos, especialistas em ditos com comparações, dizem que é “feio como semblante de enforcado”. Pra dizer que alguma coisa é comprida demais, eles dizem que é “espichada que nem causo de gago”.