#linguagem

18 de novembro de 2016, 17h23

“A linguagem do grotesco no parlamento tem sido a regra, não a exceção”

Em entrevista para a Fórum, Valdemar Figueiredo Filho comenta o discurso do deputado Cabo Daciolo que pediu a Temer que abandonasse o satanismo.


14 de novembro de 2016, 11h44

Me-ni-na: entenda como palavras “comuns” oprimem mulheres lésbicas”

1. criança ou adolescente do sexo feminino; 2. moça jovem e solteira do sexo feminino; 3. tratamento carinhoso que se dá às pessoas do sexo feminino, mesmo quando adultas.


17 de maio de 2016, 10h53

A profecia autorrealizável de Temer: assim nascem as crises

No discurso de posse como vice-agora-presidente-interino-em-exercício, mais uma vez Michel Temer exibe a sua tradicional canastrice telegência (gestual, entonação e postura corporal alusivos a apresentadores de TV), atualmente elemento importante na propaganda político. Mas Temer foi além. Já no final, mais descontraído, exortou os brasileiros a “não falar mais em crise” a partir de um […]


26 de novembro de 2015, 14h03

A naturalização da violência contra a mulher em frases do cotidiano

Thaís Campolina A violência contra a mulher é sistêmica e se apresenta de diversas formas, desde a violência simbólica através da desumanização/objetificação do gênero feminino e a violência psicológica até o estupro e o feminicídio. E se faz presente em diversos espaços: na rua, em casa, no parto e até no ambiente virtual. E o […]


04 de abril de 2011, 14h36

As origens da expressão “politicamente correto”

Se pudéssemos resumir de forma simplificada a grande descoberta dos estudos da linguagem no século XX, o resumo seria: a língua não é um instrumento neutro. Dito assim, parece à toa. Mas quando desempacotamos as premissas e conclusões que se desprendem desse enunciado, algumas consequências se impõem para a prática política de esquerda. Não se […]


16 de junho de 2009, 18h13

Sobre a obrigatoriedade do diploma de jornalismo

O jornalismo brasileiro ainda hoje pretende escudar-se em uma suposta neutralidade técnica da mera descrição de fatos, quando há muito se sabe que fatos só podem ser expressos por meio da linguagem que é sempre subjetiva