#Médico Sem Fronteiras

15 de outubro de 2011, 11h38

Doenças que não valem nada

Entre 1975 e 1999, foram desenvolvidos 1.393 remédios. Dentre eles, apenas 13, ou seja, menos de 1%, destinavam-se ao tratamento de doenças que matam milhões de pessoas nos países pobres. É a lógica da indústria farmacêutica, o que vale é o lucro