#Mouzar Benedito

03 de dezembro de 2018, 16h33

Caipiras, com muito orgulho

Este livro é uma homenagem ao dialeto caipira, sua cultura, aos modos e às pessoas que o reproduzem geração após geração. Um livro que traz a marca da simplicidade e do humor de seus autores - Mouzar Benedito lança na próxima segunda-feira (10), em São Paulo, seu novo livro "Palavra de Caipira"; saiba mais


17 de maio de 2018, 22h01

Representantes de grupo terrorista

Nova crônica de Mouzar Benedito sobre uma viagem ao Nordeste com os amigos nos anos 70


24 de fevereiro de 2018, 16h48

Por que matar minhocas, se podemos matar gente?

Estamos no limiar de um tempo mais belicoso do que o “normal”, mas restarão resistentes que darão a volta por cima, e serão protagonistas de um “pós-nazi-fascismo” generoso


10 de fevereiro de 2018, 17h48

Tipinhos inesquecíveis

Uma das seções da revista “Seleções” chamava-se (ou chama-se) “Meu tipo inesquecível”. Nessa revista, claro que os “tipos inesquecíveis” eram o que os leitores poderiam chamar de “gente boa”. Pro gosto deles, claro.


12 de dezembro de 2017, 15h36

Divagações sobre Aécio e as onças

Os militares gostaram do poder. Adhemar e Lacerda foram cassados e tiveram seus direitos políticos suspensos. Magalhães Pinto foi poupado, mas também ficou chupando o dedo. Os três morreram durante a ditadura, que durou 21 anos.


29 de novembro de 2017, 15h19

“1968, por aí… Memórias burlescas da ditadura”

Há pessoas saudosas da ditadura que não vivenciaram, e até esperam comemorar o cinquentenário de 1968 trazendo de volta os militares ao poder. Por isso, é bom lembrar como foi.


21 de novembro de 2017, 12h31

Dinheiro, muié e bicho-de-pé

Em Nova Resende, quando eu era criança, quem estava à toa, sem trabalho, vagabundeando (ainda que sem querer, pois podia ser o caso de gente que queria trabalhar, mas não tinha emprego), dizia que estava “trabalhando pro Zé Rezende”.


15 de outubro de 2017, 18h27

Chegou a tua vez, moleque!

Este romance, que escrevi este ano, é um tanto diferente dos que estou habituado a escrever: pode ser considerado mais ingênuo, por exemplo. Mas com humor, como sempre.


12 de setembro de 2017, 15h19

Piadas velhas, malas de ninguém e conversa para boi dormir

É! Com tanta facilidade que os computadores oferecem, é fácil fazer uma montagem com uma foto como aquela. As impressões digitais do sujeito nas notas e nos pacotes? Ah, isso é bobagem. Ficção também. Outra montagem.


11 de agosto de 2017, 15h20

Cachaça inflacionada e literatura no Paiaiá

A dose de pinga com raízes, ervas medicinais e outras coisas que servem para dar um saborzinho especial, teve seu preço mais que dobrado: passou de dez centavos a dose para vinte e cinco centavos!


13 de dezembro de 2016, 14h01

Alzheimer e impeachment num livro safado

Explico antes: é um romance de humor. É ambientado em São Paulo (Vila Madalena) durante o processo de impeachment de Dilma Rousseff. Imagine um velho de esquerda, com Alzheimer, e sendo bombardeado diariamente por notícias sobre o processo de impeachment e um assanhamento da direita! E duas cuidadoras que são a favor do impeachment discutindo […]


22 de maio de 2015, 14h38

Marta e o PT

O mandato é da senadora ou do partido? Mouzar Benedito mostra que esta não é uma questão tão simples como parece


27 de março de 2015, 17h51

Homem diferente tá aí!!!

Uma crônica que mostra que falar a verdade nem sempre é um bom negócio...


23 de janeiro de 2015, 17h48

E viva a burocracia!

Uma crônica que, apesar de relacionada ao transporte público em São Paulo, se refere mesmo é à burocracia, às vezes excessiva no Brasil


19 de setembro de 2014, 12h09

Bill Ferrer em tempos de FHC

  “Pamonhas de Piracicaba e outras histórias” é mais um volume da minha série sobre Bill Ferrer, detetive heterodoxo, escrito em parceria com Saphira Mind. Apesar de ser publicado só agora, foi escrito em 2002, último ano do governo Fernando Henrique Cardoso. Nesse livro, ele não investiga nada relacionado ao governo, mas nos diálogos fica […]