#pichação homofóbica

10 de novembro de 2015, 13h48

Após ter muro pichado, estudante vítima de homofobia reage no Facebook

"Sou uma bichona de marca maior e não me envergonho nem um pouco disso, nunca vou fingir ser algo que não sou para ser aceito e jamais vou parar de compartilhar e expor minhas ideias para que pessoas como essas pensem que 'está tudo bem, só não pode ser gay perto de mim'", postou Ramom Habitsenther, de 21 anos, morador de Volta Redonda (RJ)