#praia

19 de novembro de 2017, 15h02

O dia em que o Leblon virou Palmares: Sem-tetos tomam uma das praias mais elitizadas do país

Ato que marca a véspera do Dia da Consciência Negra levou centenas de sem-tetos de ocupações do Rio de Janeiro e membros de comunidade, para delírio da família tradicional, para a praia com o metro quadrado mais caro da cidade. Confira Por Redação Nesta domingo (19), a Praia do Leblon, na zona sul do Rio […]


22 de setembro de 2015, 17h16

Mulher que queria “cobrar entrada” em praia nos anos 1990 revela arrependimento: “Mesmo culta era alienada”

Depois que reportagem exibida pela extinta TV Manchete viralizou nas redes, a protagonista do vídeo, à época com 18 anos e hoje com 47, se pronunciou e disse ter mudado de opinião: “Tenho orgulho de ter podido evoluir” Por Redação Nos últimos dias, viralizou na internet uma reportagem, exibida nos anos 1990 pela TV Manchete, […]


28 de agosto de 2015, 09h23

Nós não vamos invadir sua praia

"O pensamento de que as praias são o espaço mais democrático de qualquer cidade cai por terra a cada investida da visão preconceituosa e militarizada do Estado. Numa ação recente no Rio de Janeiro de espírito segregador, jovens negros e pobres foram retirados à força de um ônibus que partia em direção a uma praia da Zona Sul. Mais um ato patrocinado pelo Governo do Rio que nos enche de vergonha e revolta"; confira o artigo da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).


24 de agosto de 2015, 14h39

Polícia impede jovens da periferia de irem à praia no Rio de Janeiro

Do grupo de quinze jovens, apenas um era branco. O restante tinha o mesmo perfil, formado por negros e pobres. Nenhum deles portava drogas, armas ou cometeu qualquer atitude suspeita que justificasse a intervenção. O caso gerou revolta entre defensores dos direitos humanos, que acusam a PM de discriminação.


26 de junho de 2012, 16h20

Uma casa na praia

Estávamos num grupo de 15 pessoas, a maioria estudantes, numa casa de praia,em São Francisco, povoado de caiçaras perto de São Sebastião, litoral norte de São Paulo. Éramos sete casais e o Zé (nome fictício) sozinho, topando todas. Bissexual, cantava os homens e as mulheres.