#progressista

07 de Janeiro de 2016, 18h28

O machismo oculto em organizações ditas progressistas

Numa época em que uma das mais poderosas empresas de relações públicas norte-americanas, de esquerda, fecha as portas diante de acusações de que seu fundador, Trevor FitzGibbon, teria assediado sexualmente e atacado tanto empregadas quanto clientes, muitos progressistas coçam e balançam a cabeça com olhar desaprovador. Como é que uma pessoa tão envolvida com o movimento eaté grupos feministas poderia ser sexista e praticar abusos sexuais, de acordo com a denúncia de muitas mulheres?