#propaganda política

26 de julho de 2017, 17h19

Luta simbólica da esquerda é vulnerável contra guerra híbrida midiática

O escritor e dirigente sindical Roberto Ponciano no seu artigo “Cultura, Violência e Direito à Insurreição” observa uma “docilidade cultural” que parece tomar as manifestações no Brasil e alerta: “Nesse ritmo de paz e amor em que estamos, embalados pelos showmícios de Caetano, ao menos nos tornaremos escravos mais alegres do mundo”. O editor do […]


16 de junho de 2017, 18h08

Miriam Leitão, capas de revistas e a teratopolítica

A denúncia tardia da jornalista Miriam Leitão de que supostamente teria sido vítima do ódio de petistas num voo entre Brasília-Rio tem um timing preciso: o momento no qual Lula e Lava Jato estão em segundo plano diante da guerra entre os canhões da Globo e a resistência do desinterino Michel Temer em se agarrar […]


07 de novembro de 2016, 11h52

Anomalias semióticas no II Congresso do Movimento Brasil Livre

Há algo estranho no material de divulgação do II Congresso Nacional do Movimento Brasil Livre, a ser realizado esse mês em São Paulo. Um dos principais protagonistas no impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o MBL divulga uma rodada de palestras encabeçada pela foto do ministro do STF Gilmar Mendes. Mas há anomalias semióticas: para começar, […]


25 de julho de 2016, 14h12

O evento-encenação da célula amadora dos terroristas de paintball

Saem bolivarianos e comunistas e agora entram terroristas islâmicos. Sim! Nós também temos terroristas. “Células amadoras” onde o batismo é feito através de webcam, compram armas do Paraguai pela Internet e pretendem fazer “treinos de lutas marciais” a poucos dias dos jogos olímpicos, suposto alvo dos intolerantes religiosos. Isso quem disse foi Alexandre de Moraes, […]


17 de Maio de 2016, 10h53

A profecia autorrealizável de Temer: assim nascem as crises

No discurso de posse como vice-agora-presidente-interino-em-exercício, mais uma vez Michel Temer exibe a sua tradicional canastrice telegência (gestual, entonação e postura corporal alusivos a apresentadores de TV), atualmente elemento importante na propaganda político. Mas Temer foi além. Já no final, mais descontraído, exortou os brasileiros a “não falar mais em crise” a partir de um […]


18 de Abril de 2016, 18h22

Em “Ele Está de Volta” o século XXI recebe Hitler de braços abertos

O que aconteceria se Hitler reaparecesse hoje graças a algum estranho fenômeno temporal que o fizesse escapar da morte em seu bunker em 1945? A resposta que o filme “Ele Está de Volta” (Er Ist Wieder Da, 2015), disponível no Netflix, dá é no mínimo preocupante. Combinando ficção e documentário, o desconhecido ator Oliver Masucci […]


24 de Março de 2016, 17h09

Agenda Hollywood e os super-heróis: ingovernabilidade para o mundo

Numa manhã de domingo de 2001, Karl Rove, Vice-Chefe da Casa Civil do presidente Bush, reuniu-se em Beverly Hills com os chefões de Hollywood. Era o início da criação da “Agenda Hollywood” para esse século – mais uma vez, a indústria do entretenimento norte-americana era convocada  a servir de braço político para o jogo geopolítico mundial. […]


19 de Janeiro de 2016, 10h16

Por que “O Regresso” é o favorito ao Oscar?

Com doze indicações para o Oscar 2016 com o filme “O Regresso”, mais uma vez o diretor Alejandro Iñarritu está no centro das atenções: se no ano passado com o premiado “Birdman” homenageou o verniz artístico de Hollywood (a Broadway), agora é a vez do diretor fazer um tributo aos elementos mais caros da propaganda […]


17 de novembro de 2015, 17h59

Atentados em Paris não aconteceram

Acumulação, consonância e onipresença. Essas três palavras definem a atual cobertura da grande mídia brasileira aos ataques em Paris. Ao contrário da autêntica Chernobyl brasileira em que se transformou a catástrofe ambiental e humana em Mariana/MG com o rompimento das barragens de detritos da Vale do Rio Doce/Samarco. Por que essa diferença de tratamento? Há […]


21 de Maio de 2015, 14h38

A não-notícia do CQC e o ato falho da propaganda do PSDB

O programa CQC afunda em crise de audiência e irrelevância, com críticas da dona da franquia da atração nos bastidores: a produtora argentina Eyeworks Cuatro Cabezas. O ápice foi a saída de Marcelo Tas da bancada ao vivo, substituído pelo ator Dan Stulbach. Talvez para tornar o programa mais equilibrado sem os arroubos politicamente raivosos […]


24 de setembro de 2014, 10h19

Horário eleitoral custará R$ 839 milhões aos cofres públicos

Quantia será descontada do total de tributos pagos pelas empresas de rádio e TV de sinal aberto. Para especialistas, o valor pago para que os eleitores conheçam candidatos e propostas não é um problema, mas sim o fato de a sociedade ter pouco acesso e controle sobre os valores ressarcidos