#respeitados

13 de setembro de 2017, 17h01

Patrícia Lélis: “O desonesto moralismo sobre a prostituição”

Hoje, entendo que todos que trabalham como profissionais do sexo devem ter seus direitos trabalhistas garantidos e, principalmente, serem devidamente respeitados.