#Roberto Ribeiro

17 de abril de 2018, 12h41

Dona Ivone Lara precisou ter sido genial para furar a bolha machista das escolas de samba

“Sonho Meu” serviu de hino involuntário da campanha da anistia, em 1979