#tóxica

23 de agosto de 2018, 16h39

Bolsonaro e a masculinidade tóxica

Derrotar o candidato do PSL não é apenas evitar a barbárie brasileira, mas é também começar a deixar para trás um tipo de estrutura e organização social que privilegia a violência da heterossexualidade compulsória para uma vida em comunhão entre as várias raças, identidades e orientações sexuais na construção do Comum