#Universidade de Brasília (UNB)

22 de fevereiro de 2018, 08h49

Professor de disciplina sobre o golpe de 2016 emite nota. Leia aqui

Para ele, "trata-se de uma disciplina corriqueira, de interpelação da realidade à luz do conhecimento produzido nas ciências sociais, que não merece o estardalhaço artificialmente criado sobre ela"


25 de abril de 2017, 12h10

Professor é suspenso da Universidade de Brasília após denúncia de assédio sexual contra alunas

Estudantes contaram ter sido vítimas de toques indesejados, comentários machistas e que foram obrigadas a ficar em posições constrangedoras durante atividades da disciplina Por Redação O professor de audiovisual Mauro Giuntini, da Faculdade de Comunicação (FAC) da Universidade de Brasília (UnB), foi suspenso pela instituição por 60 dias após acusações de assédio moral e sexual. Em dezembro de […]


16 de fevereiro de 2017, 17h29

Movimentos lançam professora da UnB como anticandidata ao STF

Candidatura de Beatriz Vargas Ramos é para demonstrar indignação com indicação de Alexandre de Moraes ao Supremo.


14 de maio de 2015, 14h39

Seja professor! [resposta a um artigo realista-desencorajador]

Com base no artigo “Não seja professor”, publicado pelo filósofo Vladimir Safatle na Folha de S. Paulo, professor da Universidade de Brasília (UnB) questiona os argumentos apresentados e defende o incentivo à carreira dos docentes, apesar das dificuldades da profissão: “O momento não é de desencorajamento, mas de estímulo à mudança prática e ao embate de diálogo aberto com aqueles que deveriam nos representar”.


27 de março de 2015, 18h20

Projeto fotográfico denuncia racismo dentro da universidade; confira o ensaio

Uma estudante de Antropologia da Universidade de Brasília (UnB) fotografou pessoas que transitavam pelo campus e pediu que elas posassem com frases preconceituosas que já ouviram: “Para uma negra, você é até bonita”, “Como você faz para lavar esse cabelo?”, “Você sabe ler?”, “Você tem sorte de ser negro, nem precisa estudar para passar no vestibular”.


30 de janeiro de 2013, 20h26

Brasil tem como principal causa de morte entre jovens o homicídio

Entre os países da América Latina, a Argentina, Chile e Uruguai têm os assassinatos em 12ª colocação, enquanto na Europa Ocidental, que inclui países como Inglaterra, França e Espanha, as mortes violentas ficam em 50ª lugar