15 de dezembro de 2017, 09h49

Temer terá de usar sonda urinária por três semanas

Após ter sua alta hospitalar adiada em um dia, Michel Temer sairá do hospital nesta sexta-feira (15), com uma sonda, que ele precisará usar pelas próximas três semanas.

Após ter sua alta hospitalar adiada em um dia, Michel Temer sairá do hospital nesta sexta-feira (15), com uma sonda, que ele precisará usar pelas próximas três semanas. Da Redação* Michel Temer está bem depois de passar por procedimento cirúrgico urológico, é uma pessoa saudável, mas precisará ter precauções nas próximas semanas que o levaram a adiar uma viagem em janeiro, afirmaram nesta quinta-feira (14) os médicos que tratam do peemedebista. As informações são de Tatiana Ramil, da Reuters. Ele recebe alta na sexta-feira (15), após ficar um dia a mais no hospital em função de medicamentos que está tomando...

Após ter sua alta hospitalar adiada em um dia, Michel Temer sairá do hospital nesta sexta-feira (15), com uma sonda, que ele precisará usar pelas próximas três semanas.

Da Redação*

Michel Temer está bem depois de passar por procedimento cirúrgico urológico, é uma pessoa saudável, mas precisará ter precauções nas próximas semanas que o levaram a adiar uma viagem em janeiro, afirmaram nesta quinta-feira (14) os médicos que tratam do peemedebista. As informações são de Tatiana Ramil, da Reuters. Ele recebe alta na sexta-feira (15), após ficar um dia a mais no hospital em função de medicamentos que está tomando para o coração em decorrência da angioplastia realizada mês passado. Mesmo assim, usará uma sonda urinária por um período de três semanas.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

“Ele ficou mais um dia por segurança, ele toma remédios para deixar o sangue mais fino, por causa da angioplastia. Esses remédios podem aumentar o risco de sangramento e não pode ficar sem essa medicação. Foi mais para observar mesmo”, disse, em entrevista coletiva, o médico Roberto Kalil Filho, um dos responsáveis pelo atendimento do peemedebista no hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

De acordo com o médico Miguel Srougi, foram realizadas há cerca de um mês biópsias da bexiga e da próstata, que “foram normais, então se descartou qualquer processo grave”. No final de outubro, o Temer passou em São Paulo por uma cirurgia na próstata, depois der ter sofrido uma obstrução urinária que fez com que fosse levado a um hospital de Brasília dias antes. Posteriormente, já no final de novembro, Temer foi internado no Sírio-Libanês para ser submetido a uma angioplastia e para realizar uma revisão da cirurgia na próstata.

*Com informações do Brasil 247

Foto: Lula Marques/AGPT