ASSISTA
05 de Maio de 2016, 08h41

Teori determina afastamento de Eduardo Cunha do mandato

Ministro do STF afastou Cunha do mandato de deputado federal e, por consequência, da função de presidente da Câmara. O peemedebista será substituído por outro investigado na Lava Jato, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA).

Ministro do STF afastou Cunha do mandato de deputado federal e, por consequência, da função de presidente da Câmara. O peemedebista será substituído por outro investigado na Lava Jato, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA)

Por Redação

Nesta quinta-feira (5), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki determinou o afastamento do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do mandato de deputado federal.

Ao conceder liminar em um pedido da Procuradoria-Geral da República, ele reconheceu que o parlamentar estaria usando o cargo para “constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de embaraçar e retardar investigações”.

“Ante o exposto, defiro a medida requerida, determinando a suspensão, pelo requerido, Eduardo Cosentino da Cunha, do exercício do mandato de deputado federal e, por consequência, da função de Presidente da Câmara dos Deputados”, diz trecho da decisão.

Cunha é réu no STF pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, acusado de ter recebido U$ 5 milhões de dólares em propina de contratos de navios-sonda da Petrobras, além de outras denúncias que estão sendo apuradas. Ele será substituído na Câmara por outro investigado na operação Lava Jato, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA).

Foto de capa: Antonio Cruz/ABr