Imprensa livre e independente
20 de julho de 2018, 13h23

TJ de Minas rejeita recurso e mantém Eduardo Azeredo preso

Tucano foi condenado a 20 anos e um mês de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro, no mensalão tucano, em agosto de 2017

(Foto: Blog do PSDB de Minas Gerais)
Eduardo Azeredo (PSDB), ex-senador e ex-governador de Minas Gerais, teve seu pedido de cautelar para relaxamento da prisão rejeitado pela 3ª vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargadora Mariangela Meyer Pires Faleiro, segundo informações do G1. O tucano foi condenado a 20 anos e um mês de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro, no mensalão tucano, em agosto de 2017. O ex-governador de Minas Gerais se entregou no dia 23 de maio deste ano, em uma delegacia de Belo Horizonte, mais de 20 anos depois da data em que ocorreram os fatos pelos quais...

Eduardo Azeredo (PSDB), ex-senador e ex-governador de Minas Gerais, teve seu pedido de cautelar para relaxamento da prisão rejeitado pela 3ª vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargadora Mariangela Meyer Pires Faleiro, segundo informações do G1. O tucano foi condenado a 20 anos e um mês de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro, no mensalão tucano, em agosto de 2017.

O ex-governador de Minas Gerais se entregou no dia 23 de maio deste ano, em uma delegacia de Belo Horizonte, mais de 20 anos depois da data em que ocorreram os fatos pelos quais é acusado e mais de 11 anos após a primeira denúncia. Trata-se do primeiro preso do chamado “mensalão tucano”.

Mas ao contrário de Lula, Azeredo recebe uma série de regalias. Preso em uma sala especial da Academia de Bombeiros Militar de Minas Gerais, ele recebe todas as quatro refeições diárias (café, almoço, lanche e jantar) de seus familiares.

O local onde ele cumpre a pena fica a cerca de um quilômetro da residência de Azeredo, no bairro Serra, área nobre de Belo Horizonte. Já o ex-presidente Lula tem recebido os mesmos alimentos dos presos que estão na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba.

Veja também:  Funcionários do BNDES farão protesto contra precarização do órgão

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum