Imprensa livre e independente
29 de janeiro de 2014, 19h03

UE sinaliza que vai negociar pacto comercial com Cuba

O avanço só foi possível porque República Checa e Polônia retiraram o veto ao acordo. A Alemanha pretende "observar" a questão de direitos humanos na ilha

O avanço só foi possível porque República Checa e Polônia retiraram o veto ao acordo. A Alemanha pretende “observar” a questão de direitos humanos na ilha Por Redação Raúl Castro e Cuba podem ser procurados pela UE para negociar acordo comercial (Foto Roosewelt Pinheiro/ABr) Segundo a agência France Presse, a União Europeia aprovou, nesta quarta-feira (29), os trâmites burocráticos para negociar um acordo comercial com Cuba. A informação foi passada à agência francesa por um diplomata. As negociações devem começar em fevereiro, se o acordo for aprovado no Conselho de Relações Exteriores do bloco. O avanço só foi possível porque...

O avanço só foi possível porque República Checa e Polônia retiraram o veto ao acordo. A Alemanha pretende “observar” a questão de direitos humanos na ilha

Por Redação

Raúl Castro e Cuba podem ser procurados pela UE para negociar acordo comercial (Foto Roosewelt Pinheiro/ABr)

Segundo a agência France Presse, a União Europeia aprovou, nesta quarta-feira (29), os trâmites burocráticos para negociar um acordo comercial com Cuba.

A informação foi passada à agência francesa por um diplomata. As negociações devem começar em fevereiro, se o acordo for aprovado no Conselho de Relações Exteriores do bloco.

O avanço só foi possível porque República Checa e Polônia retiraram o veto ao acordo. A Alemanha, crítica do regime cubano, vinculou sua aprovação a um fortalecimento da observação à questão de direitos humanos na ilha.

Para o diplomata holandês, Frans Timmermans, que visitou Havana no começo de janeiro, “é tempo da UE atualizar suas relações com Cuba, com base no que está acontecendo aqui.” 

Veja também:  Olavo de Carvalho surta com divulgação de seu programa na EBC e acusa Santos Cruz

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum