Imprensa livre e independente
16 de julho de 2018, 15h39

UJS divulga carta a Lula: “Seguimos na luta por sua liberdade”

Texto ressalta a importância do esforço do ex-presidente para que todos os jovens, filhos e filhas de pedreiros e faxineiras, tivessem direito à educação

Foto: Adonis Guerra/SMABC No fim de semana em que se completaram 100 dias de prisão de Lula, o ex-presidente foi lembrado e homenageado pela União da Juventude Socialista (UJS), que tem Carina Vitral na presidência. A entidade, que representa milhares de estudantes de todo o país, divulgou uma carta, na qual exige a liberdade de Lula. O texto ressalta a importância do esforço de Lula para que todos os jovens, filhos e filhas de pedreiros e faxineiras, tivessem direito à educação. “​Juntos percorremos um caminho que nos permitiu sonhar. E com tudo o que o senhor aprendeu e ensinou ao Brasil, tenha...

Foto: Adonis Guerra/SMABC

No fim de semana em que se completaram 100 dias de prisão de Lula, o ex-presidente foi lembrado e homenageado pela União da Juventude Socialista (UJS), que tem Carina Vitral na presidência. A entidade, que representa milhares de estudantes de todo o país, divulgou uma carta, na qual exige a liberdade de Lula.

O texto ressalta a importância do esforço de Lula para que todos os jovens, filhos e filhas de pedreiros e faxineiras, tivessem direito à educação. “​Juntos percorremos um caminho que nos permitiu sonhar. E com tudo o que o senhor aprendeu e ensinou ao Brasil, tenha a certeza de que os poderosos não nos farão baixar a cabeça”.

A carta marcou, também, o encerramento de mais um encontro nacional da organização. Com mais de 3 mil participantes, o 19º Congresso Nacional da União da Juventude Socialista debateu estratégias para ocupar espaços de poder. No evento do ano passado, Lula subiu ao palco como convidado de honra e recebeu a medalha Castro Alves.

Acompanhe a íntegra do texto:

“Querido presidente Lula, nós da União da Juventude Socialista somos milhares de jovens espalhados pelo país. Estamos reunidos em nosso congresso nacional após um amplo processo de mobilização que envolveu o campo e a cidade, a escola, a universidade, os centros e as periferias. Durante todo esse rico processo reafirmamos a certeza de que a sua condenação sem provas é o retrato do Estado de exceção em curso no Brasil. Por isso gritamos em alto e bom som: LULA LIVRE! Defenderemos até o fim o seu legítimo direito de se candidatar.

Veja também:  Vaza Jato: New York Times e The Guardian apontam parcialidade de Moro e prisão de Lula para eleger Bolsonaro

Há dois anos te recebíamos no nosso 18º Congresso Nacional e como o senhor sabe, entoamos em nossos espaços uma palavra de ordem: “o filho do pedreiro vai poder virar doutor”. Ela representa aquilo de mais belo do caminho que trilhamos juntos e fala sobre esperança. A esperança de um Brasil melhor onde aqueles e aquelas que trabalham duro possam ter acesso a oportunidades, comida na mesa, educação de qualidade e emprego digno.

​Nos últimos anos, sob a sua liderança, pudemos vislumbrar o potencial daquilo que o Brasil pode vir a oferecer aos seus filhos. Filhas e filhos de pedreiros e empregadas domésticas virando doutores, jovens andando de cabeça erguida e com orgulho do seu país.

​Juntos percorremos um caminho que nos permitiu sonhar. E com tudo o que o senhor aprendeu e ensinou ao Brasil, tenha a certeza de que os poderosos não nos farão baixar a cabeça. Como o senhor bem nos lembrou naquele fatídico dia em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC citando uma frase de Che Guevara: “Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera”.

Veja também:  O Globo: duas capas, duas caras

​Cem dias se passaram desde que a sua liberdade foi tirada de forma arbitrária. Desde então avançaram na retirada dos direitos que tanto lutamos para conquistar, mas não aprisionaram nossa disposição de lutar. Temos sido milhões de Lulas pelo Brasil com a mesma garra, teimosia, força e disposição que o senhor sempre demonstrou ter. A esperança que construímos juntos não se perdeu. Temos fé de que o Brasil saberá encontrar o seu caminho de liberdade, igualdade e democracia.

​Por isso tudo, gostaríamos de lhe transmitir o mais apertado abraço, daqueles e daquelas que foram os primeiros de suas famílias a entrar na universidade e conquistar o seu diploma. Este diploma será utilizado por uma nova geração oriunda da classe trabalhadora que quer ocupar os centros de decisão política e poder. Temos esperança e energia para construir um Brasil melhor, com juízes, médicos, professores e trabalhadores engajados e comprometidos com a justiça social, a democracia e a construção de um país emancipado e soberano.
Seguimos lutando pela sua liberdade, pela juventude e pelo Brasil. Obrigado Lula, por não desistir!”.

Veja também:  "Eu poderia ter discutido a minha volta para fazer mais", diz Lula sobre eleições de 2014

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum