12 de julho de 2018, 07h41

Uma chapa FHC e Nelson Jobim para unir Temer e tucanos

A intenção seria unificar o que a mídia tradicional tem denominado de centro. Ou seja, além de PSDB e PMDB todos os outros partidos que participaram ativamente do golpe de 2016 que levou o país a ser governado por Temer.

O painel da Folha de hoje relata que um aliado de Temer teria sugerido a um dirigente tucano uma chapa com Fernando Henrique Cardoso candidato a presidente da República e Nelson Jobim, que é filiado ao PMDB para vice.

A intenção seria unificar o que a mídia tradicional tem denominado de centro. Ou seja, além de PSDB e PMDB todos os outros partidos que participaram ativamente do golpe de 2016 que levou o país a ser governado por Temer.

A própria Folha trata a hipótese de forma irônica usando como título da nota a expressão “febre de 40 graus”. E dizendo que se trata do sintoma do “barata voa”. Que na política significa que as coisas perderam completamente o controle.

Jobim foi ministro da Justiça de FHC e é considerado como bom articulador político, mas principalmente é alguém com grande acesso ao judiciário e às Forças Armadas, porque foi também ministro da Defesa e seu trabalho entre os militares foi considerado por eles como o melhor do período da democratização.

FHC tem 87 anos e Nelson Jobim 72. Esse, evidentemente, seria o grande problema da chapa. Teria um cheiro de naftalina político. Mas o maior de todos seria o de ela significar união todos aqueles que se encontram hoje no barco do governo mais rejeitado da recente história do país, o de Temer, com seus 3% de aprovação.

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil