25 de julho de 2018, 21h08

Uma das maiores livrarias de Roma expõe livro de Lula ao lado do livro de Mandela

A livraria Feltrinelli, uma das mais tradicionais da Itália, expôs lado a lado em sua unidade de Roma os livros sobre os dois ex-presidentes e presos políticos. Imagem foi divulgada pela editora da Boitempo, Ivana Jinkings

Foto: Arthur Scavone
A livraria Feltrinelli, uma das maiores de Roma e entre as mais tradicionais da Itália, está vendendo o livro “A verdade vencerá: o povo sabe por que me condenam”, do ex-presidente Lula, editado e organizado pela Boitempo e lançado no Brasil em março. O livro foi exposto estrategicamente ao lado do livro “Conversas que tive comigo”, do ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela. Não à toa. Lula e Mandela, além de amigos, tem muito em comum. Ambos foram lideranças populares, ex-presidentes e acabaram sofrendo prisões políticas. Nesta matéria da Fórum, o professor da ECA-USP, Dennis de Oliveira, explicou os...

A livraria Feltrinelli, uma das maiores de Roma e entre as mais tradicionais da Itália, está vendendo o livro “A verdade vencerá: o povo sabe por que me condenam”, do ex-presidente Lula, editado e organizado pela Boitempo e lançado no Brasil em março.

O livro foi exposto estrategicamente ao lado do livro “Conversas que tive comigo”, do ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela. Não à toa. Lula e Mandela, além de amigos, tem muito em comum. Ambos foram lideranças populares, ex-presidentes e acabaram sofrendo prisões políticas. Nesta matéria da Fórum, o professor da ECA-USP, Dennis de Oliveira, explicou os motivos pelos quais é possível se comparar as trajetórias política e as prisões de Lula e Mandela.

A imagem da exposição dos livros em Roma foi divulgada pela editora da Boitempo, Ivana Jinkings, e compartilhada pelo perfil do próprio ex-presidente Lula.

Um deles saiu da prisão pra virar presidente“, comentou um internauta.

O livro de Lula vem sendo alvo de uma polêmica recente que envolve seu lançamento na Universidade Federal do ABC (UFABC). Três professores estão sendo alvos de uma investigação, baseada em uma denúncia anônima, por conta do evento relacionado ao livro que aconteceu na universidade. Saiba mais aqui.