ASSISTA
06 de julho de 2007, 13h49

UNE quer participação da sociedade na reforma política

Estudantes reunidos no 50º Congresso pedem ainda democratização dos meios de comunicação

Estudantes reunidos no 50º Congresso pedem ainda democratização dos meios de comunicação

Por Redação

No primeiro dia de debates do 50º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), o projeto de reforma política em votação na Câmara dos Deputados foi um dos temas do primeiro dia de debates do encontro. O evento vai até domingo, 8, na Universidade de Brasília (UnB).

A diretora Nacional de Mulheres da UNE, Tatiana Oliveira, disse considerar “bastante limitadas” as atuais propostas e defendeu mecanismos que garantam maior presença feminina nas decisões políticas. “Qualquer sistema eleitoral tem que trabalhar essa participação feminina. Infelizmente, o número de parlamentares que se preocupam com essa pauta ainda é muito pequeno”, protestou.

A UNE proposta da UNE é a de alternância de um nome feminino e um masculino na formulação das listas partidárias. A medida só teria impacto se o voto em eleições proporcionais (legislativo) fosse exclusivamente em lista. A iniciativa foi derrubada no Plenário, no dia 27 de junho.

Para o universitário gaúcho Pedro Henrique Closs Thomé, há necessidade de maior participação da sociedade nas discussões da proposta e culpou a mídia pela falta de esclarecimento. “A maioria das emissoras de televisão, principalmente as de canal aberto, não passa o que realmente está sendo debatido. E quando passa, é a síntese de uma síntese”, lemantou.

Nesta sexta-feira, há painéis e seminários sobre democratização dos meios de comunicações; o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC); e a busca do desenvolvimento sustentável. Às 15h, uma passeata com o lema “Verás que um filho seu não foge à luta”, ocorre na Esplanada dos Ministérios.