Urbanista Ermínia Maricato nega entrevista à Globo: “Não quero ser usada para criticar o PT”
02 de julho de 2018, 09h34

Urbanista Ermínia Maricato nega entrevista à Globo: “Não quero ser usada para criticar o PT”

“Infelizmente não acredito que vocês terão coragem de criticar os especuladores imobiliários”, respondeu a arquiteta à produção do Fantástico

A arquiteta e urbanista Ermínia Maricato, se recusou a dar entrevista para o programa Fantástico, da Rede Globo, e explicou suas razões por email. A professora aposentada da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) escreveu, se dirigindo à emissora: “…Não acredito que vocês terão coragem de criticar os especuladores imobiliários, as prefeituras dominadas por interesses de proprietários de imóveis e incorporadores, o judiciário que desconhece a legislação urbanística e a função social da propriedade…”.

A arquiteta encerrou dizendo: “Não quero ser usada para criticar o PT. Os problemas são bem mais profundos”, disse.

Leia a carta na íntegra abaixo:

Divido com vocês porque não é sempre que a gente sapateia sobre a Globo. Em geral é o contrário. E todos os dias. 

Querido XXXX, se eu tivesse garantia de que vocês iriam divulgar exatamente o que eu disser teria o maior prazer em dar a entrevista, mas infelizmente não acredito que vocês terão coragem de criticar os especuladores imobiliários, as prefeituras dominadas por interesses de proprietários de imóveis e incorporadores, o judiciário que desconhece a legislação urbanística e a função social da propriedade…

Tenho certeza de que vocês vão divulgar: houve um investimento gigantesco, como nunca no país, com muitos subsídios para a população de baixa renda e no entanto o preço da moradia subiu (mais de 200% entre 2009 e 2015), o preço dos aluguéis subiu (hoje mais da metade do déficit é devido ao excesso de comprometimento da renda com aluguéis).

Devido à falta de regulação fundiária e imobiliária e graças ao processo especulativo as cidades explodiram tornando-se mais dispersas. Isso significa que elas estão mais caras e menos sustentáveis. Acontece que a regulação do uso e da ocupação do solo é municipal. É evidente que o governo federal errou ao apostar apenas no movimento de obras que seguraria o crescimento do PIB e do emprego após a crise de 2008 sem atentar para o que construir e principalmente ONDE CONSTRUIR, mas a especulação generalizada não foi responsabilidade apenas do Governo Federal. Em período de FLA X FLU não há espaço para reflexões complexas. E na Globo muito menos. É pena. Quem sofre somos todos nós e principalmente o povo e o meio ambiente. Não me queira mal. Mas não quero ser usada para criticar o PT. Os problemas são bem mais profundos. Abraço.