Imprensa livre e independente
11 de abril de 2019, 09h26

Vazamentos de Assange revelaram conluios de políticos como Temer e José Serra com os EUA

Entre os diversos objetivos estavam a entrega do pré-sal e o golpe que depôs Dilma

(Foto: Wikimedia Commons)
Julian Assange, que foi preso pela polícia britânica, nesta quinta-feira (11), na embaixada do Equador, em Londres, no reino Unido, onde estava asilado desde 2012, é o fundador, porta-voz e um dos nove membros do conselho consultivo do Wikileaks, um site de vazamentos de informações e denúncias. Em várias entrevistas, depoimentos e artigos, ele denunciou espionagem americana contra o governo brasileiro. Em longa e exclusiva entrevista concedida pelo fundador do Wikileaks ao escritor Fernando Morais, em 2017, ele detalha várias ações em diversos governos, sobretudo, durante o golpe de 2016, que tirou Dilma Rousseff do poder e colocou Michel Temer....

Julian Assange, que foi preso pela polícia britânica, nesta quinta-feira (11), na embaixada do Equador, em Londres, no reino Unido, onde estava asilado desde 2012, é o fundador, porta-voz e um dos nove membros do conselho consultivo do Wikileaks, um site de vazamentos de informações e denúncias.

Em várias entrevistas, depoimentos e artigos, ele denunciou espionagem americana contra o governo brasileiro. Em longa e exclusiva entrevista concedida pelo fundador do Wikileaks ao escritor Fernando Morais, em 2017, ele detalha várias ações em diversos governos, sobretudo, durante o golpe de 2016, que tirou Dilma Rousseff do poder e colocou Michel Temer. Durante a conversa ele afirma que Temer forneceu informações aos EUA em troca de apoio. Veja detalhes aqui.

O Wikileaks revelou também as razões para o então senador, José Serra (PSDB-SP), em 2010, ter votado contra o PL 12.267/2010 enviado ao congresso pelo presidente Lula. A verdadeira “preocupação” de Serra com a Petrobras era a sua ligação com os Estados Unidos, que veio à tona em meio às revelações do Wikileaks.

Veja também:  G1, da Globo, esconde escândalo de Moro com matéria sobre redução de mortes violentas

Os documentos vazados no final de 2009 reproduziam telegramas do consulado americano em São Paulo a Washington, segundo o qual Serra — então governador de São Paulo em final de mandado e candidato a presidente — se comprometia com uma executiva da petrolífera Chevron, a mudar as regras de exploração de petróleo no pré-sal, que o governo Lula havia aprovado no Congresso, caso fosse eleito.

Em 2011, Assange deu entrevista para vários blogueiros brasileiros. A extensa conversa, repletas de detalhes sobre a atuação do Wikileaks na época, foi publicada no Blog do Rovai.

Em 2014, o Movimento dos Trabalhadores sem Terra ofereceu asilo em um assentamento à Assange.

A prisão

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, foi preso pela polícia britânica nesta quinta-feira na embaixada do Equador, em Londres, no reino Unido, onde estava asilado desde 2012. As informações são da Agência Reuters.

“Julian Assange, 47, foi hoje, quinta-feira 11 de abril, preso por policiais do Serviço de Polícia Metropolitana (MPS) na Embaixada do Equador”, disse a polícia.

Veja também:  Alexandre Frota: diálogo de Moro é ilegal, imoral e vetado no mundo todo

O analista de sistemas, Edward Snowden, ex-analista da CIA que revelou o sistema de espionagem em massa dos EUA, compartilhou em seu Twitter nesta quinta-feira (11) vídeo com o fundador do Wikileaks, Julian Assange, sendo arrastado pela polícia de Londres ao ser preso na Embaixada do Equador, onde ficou asilado por quase 7 anos.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum