27 de setembro de 2018, 14h43

Vídeo: Mourão diz que 13º salário é “jabuticaba brasileira” e insinua pôr fim ao benefício

Outra "jabuticaba" trabalhista, segundo o militar, é o adicional de férias. "E é o único lugar onde a pessoa entra em férias e ganha mais. É aqui", disse o vice de Bolsonaro.

Reprodução/Youtube

Em palestra na quarta-feira (26) para empresários na Câmara dos Dirigentes Lojistas de Uruguaiana (RS), o general Hamilton Mourão (PSL), candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), criticou a legislação trabalhista brasileira e afirmou que é preciso acabar com algumas “jabuticabas”. “Jabuticabas brasileiras: 13º salário. Se a gente arrecada 12, como é que nos pagamos 13? É complicado”.

Outra “jabuticaba” trabalhista, segundo o militar, é o adicional de férias. “E é o único lugar onde a pessoa entra em férias e ganha mais. É aqui”, disse o vice de Bolsonaro, ressaltando que o benefício é “social com o chapéu dos outros”. “É sempre aquela visão dita ‘social’, mas com o chapéu dos outros. Não é com o chapeu do governo”. O termo “jabuticaba” é usado para definir coisas que só acontecem no Brasil.

Fim da estabilidade
À noite, em palestra para cerca de 2,5 mil pessoas na Associação Rural de Bagé,
Mourão defendeu a revogação da estabilidade no serviço público e uma profunda reforma do Estado, com prioridade à saúde, segurança, educação e agronegócio.

“Por que uma pessoa faz um concurso e no dia seguinte está estável no emprego? Ela não precisa mais se preocupar. Não é assim que as coisas se comportam. Tem que haver uma mudança e aproximar o serviço público para o que é a atividade privada”, afirmou Mourão, segundo informações do jornal Zero Hora.

Assista abaixo ao vídeo com a fala do general em Uruguaiana.