Seja Sócio Fórum
25 de julho de 2018, 13h22

Vídeo: Sozinha ela impediu o avião de decolar deportando um refugiado afegão

Elin Ersson, uma jovem sueca, não deixou que uma aeronave saísse de Gotemburgo em direção a Turquia, porque levava um homem afegão, de 52 anos, que estava sendo deportado

(Foto; Reprodução Facebook)
A jovem sueca Elin Ersson, 21 anos, sozinha, impediu um avião de decolar de Gotemburgo, porque levaria um afegão, de 52 anos, que foi deportado da Suécia. A estudante se negou a se sentar em sua poltrona até que o homem fosse retirado da aeronave, de acordo com informações do The Guardian e Washington Post, publicadas no UOL. A jovem, que se identificou como estudante de serviço social na Universidade de Gotemburgo em sua página no Facebook, adquiriu uma passagem do voo da cidade sueca para a Turquia depois de descobrir, com outros ativistas, que o afegão seria deportado naquele...

A jovem sueca Elin Ersson, 21 anos, sozinha, impediu um avião de decolar de Gotemburgo, porque levaria um afegão, de 52 anos, que foi deportado da Suécia. A estudante se negou a se sentar em sua poltrona até que o homem fosse retirado da aeronave, de acordo com informações do The Guardian e Washington Post, publicadas no UOL. A jovem, que se identificou como estudante de serviço social na Universidade de Gotemburgo em sua página no Facebook, adquiriu uma passagem do voo da cidade sueca para a Turquia depois de descobrir, com outros ativistas, que o afegão seria deportado naquele avião.

Logo que entrou na aeronave, Elin iniciou a transmitir ao vivo de seu ato, por uma rede social. O vídeo já foi visto por mais de 2 milhões de pessoas. A estudante chegou a enfrentar a hostilidade de passageiros, preocupados com o atraso do voo. Mesmo assim, a jovem foi simpática e manteve a compostura. “Não quero que a vida de um homem seja tirada só porque vocês não querem perder seu voo. Eu não vou me sentar até que esta pessoa seja retirada do avião”, afirmou.

“Enquanto uma pessoa estiver em pé, o piloto não pode decolar. Tudo o que eu quero fazer é parar uma deportação e, então, vou cumprir as regras daqui. Isso tudo é perfeitamente legal e eu não cometi um crime”, relatou. O comissário alegou que o voo tinha Istambul, na Turquia, como destino e que, somente lá, as autoridades iriam decidir o futuro do afegão.

Um passageiro tentou tirar o celular de Elin, que argumentou. “O que é mais importante? Uma vida ou seu tempo? Quero que ele saia do avião porque não está seguro no Afeganistão. Estou tentando mudar as regras do meu país. Não gosto delas. Não é certo mandar as pessoas para o inferno”.

Durante a filmagem, a estudante sueca mostrou somente seu rosto nas imagens, pois levou em consideração as leis de privacidade da Suécia. Depois do impasse, finalmente o afegão foi retirado do avião, sob aplausos dos passageiros. A Swedavia, empresa que administra o aeroporto de Gotemburgo, confirmou que o refugiado foi escoltado por três seguranças, seguido por Elin Ersson.

 

 

Repercussão

Rebeca Lerer, jornalista e ativista social, compartilhou o vídeo e destacou a ação da jovem: “Essa mina sozinha impediu um avião de decolar da Suécia porque um refugiado à bordo estava sendo deportado para o Afeganistão. Ela só obedeceu depois que o refugiado foi retirado do avião. Mesmo que ele possa ser deportado em outro momento, a atitude dela, transmitida ao vivo pela internet, mostra que as políticas anti-imigração da UE não refletem o desejo de muitos cidadãos. Um pequeno ato de muito amor ao próximo. Há esperança. Ativismo vive. #NoHumanBeingIsIllegal #Refugees”.

O filósofo e ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, também compartilhou o vídeo e postou: “Heroísmo da moça, que impediu a deportação e provável morte de um senhor que ia ser mandado para o Afeganistão”.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum