ASSISTA
31 de julho de 2007, 17h36

Vídeos questionam privatização da Vale do Rio Doce

No Youtube, campanha "A vale é nossa!" exibe documentário dividido em três partes.

No Youtube, campanha “A vale é nossa!” exibe documentário dividido em três partes.

Por Redação

A Companhia Vale do Rio Doce foi privatizada em 1997, durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Atualmente, há 107 que questionam a legalidade do leilão. As críticas ao processo de venda são apresentadas em três vídeos no Youtube.

Os documentários foram produzidos por entidades, movimentos sociais e profissionais da área de áudio-visual em vários estados. Eles organizam um Plebiscito pela Anulação do Leilão da Vale, de 1º a 7 de setembro. O portal A Vale é Nossa é mantido (www.avaleenossa.org.br) para divulgar informações a respeito.

A Vale foi vendida por R$ 3 bilhões, mas era avaliada em R$ 92 bilhões. Dez anos depois da privatização, os ativos da Companhia são estimados em US$ 60,9 bilhões (R$ 115 bilhões), segundo dados da revista Fortune.

Atualmente circulam na Justiça 107 ações que questionam a legalidade do leilão. O Tribunal Regional Federal de Brasília pretende apurar se houve vícios no edital de venda e se a empresa foi sub-avaliada no negócio.

Veja os vídeos.
Parte 1 – A história da Vale (8min25s)

Parte 2 – A Campanha a Vale é nossa! (7min14s)

Parte 3 – A Vale e a questão indígena (7min30s)

Mais informações: www.avaleenossa.org.br