Imprensa livre e independente
08 de setembro de 2014, 12h16

Votação do plebiscito popular da reforma política é prorrogada

Sistema online de votação ficou sobrecarregado e organizadores resolveram estender até as 23h59 desta segunda-feira a votação pela internet

Sistema online de votação ficou sobrecarregado e organizadores resolveram estender até as 23h59 desta segunda-feira a votação pela internet Por Redação A votação online do Plebiscito Popular da Reforma Política foi prorrogada para as 23h59 desta segunda-feira (8). De acordo com organizadores, o sistema de votação digital ficou sobrecarregado neste domingo (7), o que pode ter prejudicado, além de ter sido alvo de ataques online que visavam derrubar a página. O Plebiscito Popular da Reforma Política tem por objetivo colher dez milhões de assinaturas para enviar ao Congresso Nacional, para que este convoque um plebiscito para saber se a população...

Sistema online de votação ficou sobrecarregado e organizadores resolveram estender até as 23h59 desta segunda-feira a votação pela internet

Por Redação

A votação online do Plebiscito Popular da Reforma Política foi prorrogada para as 23h59 desta segunda-feira (8). De acordo com organizadores, o sistema de votação digital ficou sobrecarregado neste domingo (7), o que pode ter prejudicado, além de ter sido alvo de ataques online que visavam derrubar a página.

O Plebiscito Popular da Reforma Política tem por objetivo colher dez milhões de assinaturas para enviar ao Congresso Nacional, para que este convoque um plebiscito para saber se a população é favorável à realização de uma Assembleia Constituinte à reforma política. Após escrever a nova Constituição referente ao sistema político, o texto vai a novo plebiscito, que será soberano, ou seja, se aprovado os três poderes (Executivo, Judiciário e Legislativo) são obrigados a acatar.

Durante a Semana da Pátria (1 a 7 de setembro), mais de 30 mil urnas foram espalhadas pelo Brasil. Entre os pontos principais da reforma do sistema político, destaque para o fim do financiamento privado de campanhas, a aplicação da paridade de gênero, a alteração do formato atual da propaganda política na televisão, reeleição, entre outros.

Veja também:  Velha política: Governo Bolsonaro organiza toma lá da cá para aprovar reforma da Previdência

Para votar, clique aqui.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum