21 de maio de 2018, 12h43

Wadih Damous após visitar Lula: “Ele não quer indulto, mas sim o reconhecimento da sua inocência”

“Lula deixou claro que será candidato e quer ver o seu direito de concorrer, já que ele é o preferido da grande maioria do povo brasileiro”, disse o deputado. Veja o vídeo

O deputado federal, Wadih Daomous (PT-RJ), visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, na manhã desta segunda-feira (21), na condição de seu advogado. Na saída, Damous gravou um vídeo no acampamento Marisa Letícia, onde diz que Lula, “como sempre, está de excelente humor, mas indignado com essa situação de injustiça que se abateu sobre ele e já perdura mais de 40 dias”. Lula, de acordo com o deputado, foi muito claro. “Ele não quer saber de indulto, mas sim o reconhecimento da sua inocência. Quer que seja demonstrado que esse processo não...

O deputado federal, Wadih Daomous (PT-RJ), visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, na manhã desta segunda-feira (21), na condição de seu advogado. Na saída, Damous gravou um vídeo no acampamento Marisa Letícia, onde diz que Lula, “como sempre, está de excelente humor, mas indignado com essa situação de injustiça que se abateu sobre ele e já perdura mais de 40 dias”.

Lula, de acordo com o deputado, foi muito claro. “Ele não quer saber de indulto, mas sim o reconhecimento da sua inocência. Quer que seja demonstrado que esse processo não passou de um ato de perseguição política e quer ver a sua inocência provada e declarada”.

Damous disse ainda que Lula está lendo muito, “continua refletindo sobre as coisas do Brasil, muito preocupado com o país em que a escalada de ódio e intolerância vêm se afirmando e deixou claro que será candidato pelo Partido dos Trabalhadores e quer ver o seu direito de concorrer, já que ele é o preferido da grande maioria do povo brasileiro”.

O deputado lembrou ainda que se Lula não puder ser candidato, “vai se tratar de mais uma tentado à Constituição dos muitos que o Poder Judiciário tem praticado nos últimos tempos. Então Lula reafirma a sua inocência e reafirma a sua vontade inabalável de ser candidato à presidência da República”, concluiu.