Seja Sócio Fórum
19 de dezembro de 2017, 21h28

Wladimir Costa, deputado que tatuou o nome de Temer, tem mandato cassado pelo TRE

Antipetista fervoroso com o discurso anticorrupção e fiel escudeiro de Michel Temer, Wladimir Cota (SD-PA) foi condenado por abuso de poder econômico e gastos ilícitos em sua campanha no ano de 2014. Com a decisão, Costa se torna inelegível por 8 anos, mas ainda cabe recurso no TSE Por Redação O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) condenou por unanimidade, nesta terça-feira (19), o deputado Wladimir Costa (SD-PA) por abuso de poder econômico e gastos ilícitos em sua campanha no ano de 2014. Com a decisão, Costa perde o mandato de deputado e fica inelegível por 8 anos. Por hora,...

Antipetista fervoroso com o discurso anticorrupção e fiel escudeiro de Michel Temer, Wladimir Cota (SD-PA) foi condenado por abuso de poder econômico e gastos ilícitos em sua campanha no ano de 2014. Com a decisão, Costa se torna inelegível por 8 anos, mas ainda cabe recurso no TSE

Por Redação

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) condenou por unanimidade, nesta terça-feira (19), o deputado Wladimir Costa (SD-PA) por abuso de poder econômico e gastos ilícitos em sua campanha no ano de 2014. Com a decisão, Costa perde o mandato de deputado e fica inelegível por 8 anos. Por hora, no entanto, o parlamentar permanece no cargo pois ainda cabe recurso na instância superior.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

Wladimir Costa é acusado pelo Ministério Público Estadual de deixar de declarar R$ 149.950 em despesas de material gráfico, além de mais de R$ 100 mil em despesas efetuadas entre julho e setembro de 2014.

Antipetista fervoroso com seu discurso anticorrupção, Wladi, como é conhecido, foi o responsável por estourar um “rojão” de confetes na sessão da Câmara que cravou o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff e estampou o noticiário em julho deste ano ao fazer uma tatuagem de henna com o nome de Michel Temer. A atitude foi uma “homenagem” ao peemedebista, a quem tanto defende, em meio às discussões das denúncias contra ele que tramitaram na Câmara dos Deputados.

Em uma dessas sessões, inclusive, Wladimir Costa foi flagrado pelo fotógrafo Lula Marques compartilhando “nudes” pelo celular no meio do plenário. Relembre aqui.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum