Imprensa livre e independente
01 de novembro de 2018, 20h25

“Xerife” Moro exige autonomia e terá amplos poderes no governo Bolsonaro

Juiz será responsável por comandar as estruturas da Justiça, Segurança Pública (Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança e presídios federais), Transparência (CGU e Coaf)

Foto: Reprodução Sérgio Moro vai assumir o Ministério da Justiça de Jair Bolsonaro e terá amplos poderes e autonomia para exercer a função. O juiz será responsável por comandar o chamado “Superministério”, pois engloba as estruturas da Justiça, Segurança Pública (Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança e presídios federais), Transparência (Controladoria-Geral da União – CGU) e Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), este último hoje ligado ao ministério da Fazenda. Segundo Bolsonaro, “ele terá ampla liberdade para escolher todos os que comporão o seu segundo escalão. Ele é o chefe da Polícia Federal, que vai cuidar...

Foto: Reprodução

Sérgio Moro vai assumir o Ministério da Justiça de Jair Bolsonaro e terá amplos poderes e autonomia para exercer a função. O juiz será responsável por comandar o chamado “Superministério”, pois engloba as estruturas da Justiça, Segurança Pública (Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança e presídios federais), Transparência (Controladoria-Geral da União – CGU) e Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), este último hoje ligado ao ministério da Fazenda.

Segundo Bolsonaro, “ele terá ampla liberdade para escolher todos os que comporão o seu segundo escalão. Ele é o chefe da Polícia Federal, que vai cuidar da questão da segurança, obviamente não é uma especialidade dele a Segurança Pública, mas bem assessorado e com a inteligência que lhe é peculiar, ele tomará as decisões adequadas nessa área”.

O militar, em coletiva realizada em sua casa no Rio de Janeiro, revelou ter concordado “100%” com as solicitações de Moro, entre as quais contar com “liberdade total”. “Conversamos por uns 40 minutos e ele (Moro) expôs o que pretende fazer e eu concordei com 100% do que ele propôs. Ele queria uma liberdade total para combater a corrupção e o crime organizado, e um ministério com poderes para tal”, disse o militar.

Veja também:  Juíza dá prazo de cinco dias à União para dar explicações sobre corte de verba nas universidades

Questionado se Moro será o “xerife” do governo, respondeu: “É um ministério importante e, inclusive, ficou bem claro em conversa entre nós que qualquer pessoa que porventura apareça nos noticiários policiais vai ser investigada e não vai sofrer qualquer interferência por parte da minha pessoa”.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum