Imprensa livre e independente
13 de abril de 2018, 10h17

Zé Dirceu vai participar de plenária com militância petista em Brasília

Depois de sua condenação, é a primeira vez que Dirceu participa de um evento como esse, que também terá a presença de João Pedro Stédile, líder nacional do MST

Foto: Divulgação O ex-ministro Zé Dirceu é presença confirmada em uma plenária para discutir o atual cenário político no Brasil, que reunirá a militância petista. O encontro também terá João Pedro Stédile, líder nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Depois de sua condenação, é a primeira vez que Dirceu participa de um evento como esse. A reunião será realizada na próxima segunda-feira (16), a partir das 19h30, no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no DF (SINDSEP), em Brasília. Foto: Reprodução Uma das principais lideranças da esquerda brasileira, Dirceu tem uma longa trajetória de luta. Foi...

Foto: Divulgação

O ex-ministro Zé Dirceu é presença confirmada em uma plenária para discutir o atual cenário político no Brasil, que reunirá a militância petista. O encontro também terá João Pedro Stédile, líder nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Depois de sua condenação, é a primeira vez que Dirceu participa de um evento como esse. A reunião será realizada na próxima segunda-feira (16), a partir das 19h30, no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no DF (SINDSEP), em Brasília.

Foto: Reprodução

Uma das principais lideranças da esquerda brasileira, Dirceu tem uma longa trajetória de luta. Foi ministro-chefe da Casa Civil e ficou no cargo até 2005, momento em que explodiu o Mensalão. Acabou cassado e condenado. Em 2013 se entregou à Polícia Federal para cumprir pena. Em 2014, depois de ficar quase um ano preso, foi autorizado a cumprir o restante da pena em prisão domiciliar. No entanto, depois de delações no mínimo suspeitas, se torna réu na Lava Jato pelas mãos do juiz Sergio Moro. Sua pena, hoje, é de 32 anos e 25 dias de prisão. No entanto, conseguiu habeas corpus no STF em maio de 2017.

Veja também:  Fantasmas de massacre no Haiti assombram generais do governo Bolsonaro

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum